Não deve a Camara cortar a verba da Cidade Universitaria

 

Depoimentos significativos de 3 parlamentares – Não se pode sacrificar a política de compressão de despesas o centro e o padrão da cultura superior de um povo


A CIDADE universitária e que da caráter orgânico a cultura, ela e que preside a formação dos homens públicos, dos estadistas e dos chefes de família, disse-nosso deputado Raimundo Padilha, falando sobre a instalação definitiva da Universidade do Brasil

E continua o parlamentar udenista Criadora de expressões morais e intelectuais- ela e que forma a grandeza de uma Nação. Tanto assim, exemplifica, que não e concebível a civilização Americana.

O assunto agora esta sendo agitado em virtude da noticia de que teria a Comissão de Finanças da Câmara, com emenda e sub-emenda, suprimido do orçamento de 1955 da Republica uma verba de 100 milhoes destinadas obras de instalação da Cidade Universitária.

Reconheço que não há dinheiro, explica o parlamentar que e, ainda, menbro da Comissão de Finanças.

Reconheço que o tesouro esta com enorme déficit. Mas mesmo sob o ponto de vista pratico- e doloroso ver que obras da importância de uma Cidade Universitária sejam interrompidas por falta de recursos financeiros.

Depois de explicar o papel de cidade universitária na vida de um povo e lamentar que tenha a União dificuldade na ereção de seu centro- padrão de cultura, conclui o sr. Raimundo Padilha.

Se e verdade que a Cidade Universitária esta ameaçada de paralizar suas obras por falta de recursos financeiros- não e menos verdade que isso se deve aos dinheiros públicos mal aplicados.

Com o que se emprestou mal, com o que foi emprestado em transações pouco licitas- daria para não so continuar, como concluir as obras da cidade universitária.

 

Benjamin Farah

A Cidade Universitária e um empreendimento corajoso e digno não so do espírito progressista de nossa gente, como ainda do alto grau de cultura a que estar reservado o destino de nossa pátria, disse-nos a propósito do mesmo assunto o deputado Benjamin Farah.

Em seguida, analisando a extraordinária obra do Ministério da Educação, comenta Aquele conjunto de obras arquitetônicas- da mais pura arquitetura brasileira- rodeado da edenica beleza local, forma um todo que impressiona viamente o visitante e se transforma no melhor cartão de visita do Brasil ao turista recém- chegado.

 

Firma posição

Depois de se referir ai corte de Cr$ 100 milhoes da verba de instalação da Cidade Universitária, afirma incisivo E um absurdo qualquer interupçao daquelas obras. Entravar seu programa chega a ser falta de patriotismo.

Estarei formado na primeira linha- conclui-, a fim de lutar contra qualquer protelação e redução das verbas daquelas obras, de extraordinária signinificaçao não so turística, como espiritual e intelectual para a Nação.

 

Alberto Deodato

Sobre o mesmo assunto, interrogado, respondeu o deputado Alberto Deodato
No Brasil sempre houve o mal de se criar uma Universidade e não se dar meios para sua instalação.

Depois de condenar todas as iniciativas que possam protelar as obras da Cidade Universitária, conclui

O que estão fazendo com a Universidade do Brasil e um verdadeiro absurdo. Deve haver outra maneira de se comprimir as despesas- a fim de não se sacrificar justamente aquilo que se firmara como o padrão da cultura superior do pais.

  

Pesquisado e transcrito por

Antonio José Barbosa de Oliveira
Professor do CBG/UFRJ e colaborador da Divisão de Memória
antoniojosearrobafacc.ufrj.br
 
UFRJ SiBI - Divisão de Memória Institucional da UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ